7 de abril de 2022

Cloroquina e efeitos colaterais na Odontologia

Nestes tempos difíceis de Coronavírus, a OrtoPretti chama a atenção para o uso indiscriminado da automedicação. Sabendo que cerca de 79% da população com mais de 16 anos se automedica,  o uso da Cloroquina sem a prescrição médica pode trazer sérios prejuízos a saúde. Indicado, para prevenção e ataque agudo no tratamento da malária e juntos a outros medicamentos, têm eficácia clínica no tratamento de artrite reumatóide e lúpus, a Cloroquina tem sido vastamente comentada como uma possibidade para o tratamento de Coronavírus.

A FDA (Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA), emitiu uma nota de emergência autorizando seu uso, apesar de provas inconclusivas da eficácia da Cloroquina no tratamento do Coronavírus. E deixa bem claro que não há nenhuma evidência de cura ou vacina. E o seu uso indiscriminado entre outros,  pode causar problemas de visão e parada cardíaca.

Os efeitos bucais da Cloroquina logo; nós Cirurgiões-Dentistas, teremos obrigação de identificar os efeitos da Cloroquina na mucosa bucal, tal como manchas escuras no céu da boca ou na forma de uma reação imunológica chamada Eritema Multiforme. São erupções avermelhadas vesículo-bolhosas simétricas,  de sangramento fácil, extremamente doloridas, podendo sofrer infecção associadas complicando ainda mais o  caso clínico. Fazem parte do quadro clínico a dificuldade de abertura bucal e a fonação, podendo ocorrer de dificuldade em engolir alimentos, excesso de salivação, febre, dor nas articulações e mal estar geral. A OrtoPretti, frisa que a conscientização do risco a saúde da automedicação, seja qual for o fármaco em questão, é de suma importância. Em caso de dúvida, consulte uma unidade de saúde e cuide-se! Nós da Equipe OrtoPretti, estaremos á disposição para ajudá-lo.